sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Eu vim

De Murilo Mendes

Eu não nasci no começo desse século.

Eu nasci no plano do eterno.

Eu nasci de mil vidas superpostas.

Nasci de mil ternuras desdobradas.

Eu vim para conhecer o mal e o bem.

E para separar o mal e o bem.

Eu vim para amar e ser desamado.

Eu vim para ignorar os grandes e consolidar os pequenos.

Eu não vim construir a minha riqueza.

Não vim construir a minha própria riqueza.

Mas não vim para destruir a riqueza dos outros.

Eu vim para reprimir o choro formidável.

Esse choro formidável que as gerações anteriores me transmitiram.

Eu vim para experimentar a dúvida e a contradição.

E aprendi que é preciso idolatrar a dúvida.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial