segunda-feira, 30 de julho de 2007

O silêncio, o segredo

Esculpia em silêncio
suas pedras definitivas
fumava em silêncio
lambia a maçã da tarde
sem uma palavra

Em silêncio me disse muitas coisas
arrancou o coração do lirismo
plantou ranhuras e ficou assim,
mais lento

Morreu em silêncio
Em seu túmulo
nada foi escrito
sequer os números
do início ao fim

Suponho que só eu o conheci
e mantenho o segredo
de nunca tirá-lo do silêncio
esse abismo que nos consola

7 Comentários:

Às segunda-feira, julho 30, 2007 , Blogger Tenille disse...

o seu silêncio me desconsola.

as palavras andaram truncadas entre nós, mas espero, silenciosa a redenção.

seus poemas são tão lindos . . .

 
Às quarta-feira, agosto 01, 2007 , Blogger Little Girl Blue disse...

Sama,

Que bom que descobri o teu blog.
Vou virar leitora dos poemas!


Bjs, Milena Vital

 
Às domingo, agosto 05, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

O silêncio foi a primeira palavra que aprendi antes de comerça a falar.

Aldemir Suco.

Ps: você me deu um soco de direitae como não gosot de apanhar devolvi na mesma tapa.
E com essa espero que va a lona.

"o amor de nos dois estava na minha mão, o vento soprou. E tudo que vi foi a areia do nosso amor se misturar com cimento, dali sairão belas construções".

 
Às domingo, agosto 05, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

O silêncio foi a primeira palavra que aprendi antes de comerça a falar.

Aldemir Suco.

Ps: você me deu um soco de direitae como não gosot de apanhar devolvi na mesma tapa.
E com essa espero que va a lona.

"o amor de nos dois estava na minha mão, o vento soprou. E tudo que vi foi a areia do nosso amor se misturar com cimento, dali sairão belas construções".

 
Às domingo, agosto 05, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

O silêncio foi a primeira palavra que aprendi antes de comerça a falar.

Aldemir Suco.

Ps: você me deu um soco de direitae como não gosot de apanhar devolvi na mesma tapa.
E com essa espero que va a lona.

"o amor de nos dois estava na minha mão, o vento soprou. E tudo que vi foi a areia do nosso amor se misturar com cimento, dali sairão belas construções".

 
Às domingo, agosto 05, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

O silêncio foi a primeira palavra que aprendi antes de comerça a falar.

Aldemir Suco.

Ps: você me deu um soco de direitae como não gosot de apanhar devolvi na mesma tapa.
E com essa espero que va a lona.

"o amor de nos dois estava na minha mão, o vento soprou. E tudo que vi foi a areia do nosso amor se misturar com cimento, dali sairão belas construções".

 
Às domingo, agosto 05, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

O silêncio foi a primeira palavra que aprendi antes de comerça a falar.

Aldemir Suco.

Ps: você me deu um soco de direitae como não gosot de apanhar devolvi na mesma tapa.
E com essa espero que va a lona.

"o amor de nos dois estava na minha mão, o vento soprou. E tudo que vi foi a areia do nosso amor se misturar com cimento, dali sairão belas construções".

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial