terça-feira, 18 de setembro de 2007

Insinuação poética

Oh, mula cósmica
banhada de algas
na penumbra escarlate
aos pés de Rimbaud...

Manca em teu presépio jovem
de adorações menores
e sauda-me com um coice ao vento
derrubando todas as estrelas
cheias de iluminações...

1 Comentários:

Às quarta-feira, setembro 19, 2007 , Anonymous Anônimo disse...

upa! estou sentindo cheiro de andarilho inspirado sob o céu do sertão e a áfrica de rimbaud entranhada na pele... é bom o perfume... diferente dos antes... adorei o movimento das reticências abrindo o poema para caber mais tanto nele mesmo. "e a vida não é mesmo reticências", meu compadre?" amém!
un petit bisou pour toi

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial