quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Deveria

Deveria ter saudades
daquela ferrugem no teu rosto
do teu dente de leite
que guardei numa caixa de margarina.

Deveria ter saudades
daquela tarde de sábado
daquela noite no contraplano
quando serenávamos auroras
metido em milongas.

Deveria ter saudades
daqueles bancos limpos das praças impuras
do teu sorriso imaculado
de tua cara de anjo.

Deveria ter saudades de ti
como um homem na trincheira
perguntando seu destino.

2 Comentários:

Às sábado, janeiro 31, 2009 , Blogger Thaís Nóbrega disse...

quase sempre, teus poemas se encaixam no lado de cá. isso é impressionante!

como anda a vida?

beijo, sama!

 
Às sábado, fevereiro 28, 2009 , Blogger Thaís Nóbrega disse...

cadê? abandono total? isso é ruim...

beijos!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial