quinta-feira, 12 de janeiro de 2006

Passagem da felicidade

A felicidade passou há pouco
na sala, seu calor
ainda molda a almofada
seu cheiro de animal selvagem
me queimou as narinas

A felicidade saiu sem bater a porta
levou duas notas do velho piano
entortou alguns quadros
pendurados no corredor

Pensei em correr
e tocar seus ombros
mas na rua, ela se dispersara
em milhões de fragmentos

Fiquei como estou
quieto como quem compra
um leite vencido
e já é tarde
para não bebê-lo
de tantas fomes
sem datas

2 Comentários:

Às sexta-feira, janeiro 13, 2006 , Blogger Maria Moura disse...

Ah,
quantas
vezes
veremos
ainda
a felicidade
sair pela porta da sala,
impetuosa,
livre,
e permanceremos assim:
tímidos,
resignados,
quietos num cantinho de vida?
.
.
.
Simplesmente lindo.

 
Às sábado, janeiro 21, 2006 , Anonymous zi disse...

(se tudo passasse como a felicidade)

então voltaste à estrada.
siga voando cada vez mais alto gaivota querida...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial