segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

É preciso sorte para não perder a vida de vista

Samarone Lima

É preciso sorte
Para não perder a vida de vista.

É preciso a atenção dos marinheiros
A calma dos bancos de praça
A malícia dos pipoqueiros
que nos vencem pelo cheiro

É preciso força
Para não perder a vida na volta.

É preciso sorte e distração
É preciso vontade e dispersão.

É preciso o tanto do tão pouco
Uma ponta acesa no nada.

É preciso tocar as brasas
E se o fogo queimar
Lamber as cinzas

Com saliva de fome e amor.

1 Comentários:

Às segunda-feira, dezembro 12, 2005 , Blogger Tenille disse...

meu querido poeta,

chateou-se
desistiu-me
cansaste ou partiu?

cadê você?

ainda aguardo o término da lição.

saudades

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial