terça-feira, 15 de novembro de 2005

Sétima poesia vertical, poema 9.

Toda palavra chama outra palavra.

Toda palavra é um imã verbal,

um pólo de atração variável

que inaugura sempre novas constelações.

Uma palavra é toda a linguagem,

mas é também a fundação

de todas as transgressões da linguagem,

a base onde se afirma sempre uma antilinguagem.

Uma palavra é todavia o homem.

Duas palavras já são o abismo.

Uma palavra pode abrir uma porta.

Duas palavras a cerram.


Roberto Juarroz (1925-1986), poeta argentino

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial