terça-feira, 1 de maio de 2007

Estimações

Lembro do Atlas
marrom e com longas orelhas
O enterrei no quintal
junto com minha puberdade,
o meu cão.

Sobre os peixes do aquário
não tenho notícias
não sei se morreram de febre,
de fome,

Os inúmeros pássaros
que meu pai cultivava
no alto de velhas paredes
migraram para o outro lado
da minha infância.

Não lembro do eventual gato
da fugidia tartaruga
de animais de estimação
entre as dobras das salas
e quintais.

Lembro de Atlas e Ananque
que eram irmãos
e mesmo assim cruzavam
todos os anos
e tiham ninhadas

Um dia me disseram:
são assim os cães.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial