sexta-feira, 16 de dezembro de 2005

Memória

Samarone Lima

Imaginarei casas para ti
Calendários sem dias definitivos

Te escreverei cartas e canções
com a caligrafia do tempo

Terei teus olhos tão próximos
Como uma cicatriz

Cuidarei de tuas formas
Arrancarei teus espinhos
E te acalentarei na doçura

Quero olhar-te, mesmo sem luz
E te encontrar na matéria efêmera
Onde queima minha memória

1 Comentários:

Às sexta-feira, dezembro 16, 2005 , Anonymous fabiana disse...

Saminha, quanta beleza.
Te leio e o coracao fica morno, tao bom.
E necessario repetir.

"Estas distante como o sol
Calidez remota neste dia cinzento ".

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial